logo-de-escritores-brasileiros.gif









Escritores Brasileiros
Literatura de Informação.
A literatura brasileira teve início com a chegada dos portugueses ao país e o primeiro documento feito nesse país foi a carta de Pero Vaz de Caminha, em 1500. É importante aprender sobre a literatura, pois é um assunto muito cobrado em vestibulares e concursos públicos, tanto nas questões, quanto nas redações. O pré-vestibular e as escolas são responsáveis por ensinar o aluno sobre a interpretação de textos da literatura.
 
O intuito da carta de Caminha era informar ao Rei Manuel I como era essa terra, até então desconhecida.

Movimentos Literários

Quinhentismo (1500): O início da literatura no Brasil ocorreu durante o período de colonização. Os principais gêneros usados eram os poemas, autos, sermões, hinos e cartas. Eles eram utilizados para catequizar os índios. Outro ponto desse período foi a Literatura de Informação exercida por Pero Vaz de Caminha, por meio dos diários e das cartas que ele escrevia para falar sobre as descobertas feitas no Brasil.

Barroco (1601-1768): Estilo literário em que os escritores apresentavam histórias com muitas oposições e conflitos. Os personagens vivem em conflitos e com angústia relacionada com o que é espiritual e o que é material. Eram usadas muitas figuras de linguagem como antíteses e metáforas.

Arcadismo (Século XVIII): Saem de cena os conflitos existenciais do Barroco e entram histórias com mais objetividade e ligadas à razão. Os escritores usavam uma linguagem mais acessível e valorizavam a vida bucólica, a mulher idealizada e a natureza.

Romantismo (1836-1881): Esse gênero foi fortemente influenciado pela chegada da família real ao Brasil. Suas obras são nacionalistas, idealizam as mulheres, utilizam metáforas, individualistas e valorização da liberdade.

Realismo (1881): A literatura romântica foi declinando e o Realismo surgiu para mostrar uma vertente diferente. Apresentava a realidade da época e os problemas enfrentados pelas pessoas. As principais características desse período eram o objetivismo, personagens mais próximos à realidade, crítica social, visão irônica e uma linguagem mais popular.

Uma outra escola literária que teve início nessa mesma época foi o Naturalismo, em que o homem é apresentado como um ser influenciável em relação à natureza. Para os naturalistas, o romance tinha uma ligação maior com as classes mais pobres da população.

Parnasianismo: Gênero que valorizava o rigor formal e a poesia descritiva. Utilizava uma linguagem mais rebuscada, grandes descrições e temas mitológicos. Eram considerados alienados por não se preocupar com os problemas sociais que aconteciam na época.

Simbolismo (final do século XIX e início do século XX): Os autores desse período usavam uma linguagem mais abstrata e com inclusão de assuntos místicos e religiosos. Além disso, temas sobre sonhos e morte eram recorrentes.

Pré-Modernismo (1910-1920): O hiato entre o Simbolismo e o Modernismo recebeu o nome de Pré-Modernismo e trabalha com obras literárias mais regionalistas, positivistas e valorizando os problemas sociais da época. Porém, não há uma ideia fixa nesse período.

Modernismo (1922): Esse período teve início após a Semana de Arte Moderna, em 1922 . Suas principais características são o nacionalismo, abordagem de temas cotidianos, linguagem mais humorística e textos mais diretos.

Neo-Realismo: Os escritores passam a lançar obras em que denunciam problemas sociais do Brasil. Temas mais religiosos e místicos predominam nos livros lançados por esses autores.