logo-de-escritores-brasileiros.gif









Escritores Brasileiros do Romantismo
José de Alencar (1829-1877)

Escritor brasileiro que trabalhou como jornalista, político, cronista, dramaturgo e romancista. Nasceu no Ceará e mudou-se para o Rio de Janeiro quando ainda era criança. Em 1846, entrou para a Faculdade de Direito e em 1856, publicou seu primeiro romance, chamado “Cinco Minutos”. Em 1957, lança a história que iria tornar seu nome mais conhecido, “O Guarani”.

Primeiramente, ele foi publicado nos folhetins e depois foi transformado em livro. Ele produziu mais dois livros com conteúdo indígena, “Iracema” e “Ubirajara”. Em 1860, foi eleito como deputado do estado do Ceará e foi Ministro da Justiça por dois anos. Em 1877, faleceu no Rio de Janeiro, vítima de tuberculose com apenas 48 anos.

Caneta tinteiro.José de Alencar é considerado um dos maiores representantes do Romantismo brasileiro, em obras que priorizavam a cultura e o vocabulário brasileiro. Os romances foram divididos em históricos, urbanos, indianistas e regionalistas. Além disso, seus livros são muitas vezes baseados em personagens femininas marcantes .

Principais romances

-O Guarani (1857);
-Lucíola (1862);
-Iracema (1865);
-O Tronco do Ipê (1871);
-Senhora (1875);
-O Gaúcho (1870);
-Diva (1864);
-Guerra dos Mascates (1871).

Visconde de Taunay (1843-1899)

Escritor nascido no Rio de Janeiro, estudou Engenharia na Escola Militar, onde ajudou em conflitos ocorridos pelo país. Passou a ser professor na Escola Militar e, em 1872, publicou o romance “Inocência”. Elegeu-se como presidente do Paraná e de Santa Catarina e abandonou o governo após a Proclamação da República. Morreu devido a problemas de diabetes.

Principais obras

-Inocência (1872);
-A Retirada da Laguna (1871).

Bernardo Guimarães (1825-1884)

Esse romancista brasileiro nasceu em Ouro Preto e formou-se em Direito, em 1847. Casou, teve oito filhos e era amigo de Álvares de Azevedo. Seu primeiro livro foi publicado em 1852 e se chamava “Cantos de Solidão”. Em 1869, publicou o romance “O Ermitão de Muquén” e, posteriormente, lançou as obras “O Seminarista” e o “Garimpeiro”.

Seu livro mais conhecido, no entanto, só foi lançado em 1875: “A Escrava Isaura”. Esse romance, que fala sobre escravidão, virou novela décadas mais tarde. Morreu com apenas 58 anos e bem depois, entrou para a Academia Brasileira de Letras.

Principais obras

-O Ermitão de Muquém (1869);
-O Seminarista (1872);
-A Escrava Isaura (1875);
-O Garimpeiro (1872).