logo-de-escritores-brasileiros.gif









Poetas Brasileiros - Parte I
Augusto dos Anjos (1884-1914)

Um dos principais poetas brasileiros, que possui características como pessimismo e solidão. Augusto dos Anjos nasceu na cidade de Pau d'Arco, na Paraíba. Começou a faculdade de Direito, em 1903, e casou-se em 1910. Trabalhou com magistério no Rio de Janeiro e em Minas Gerais. Morreu na cidade de Leopoldina, em Minas Gerais, devido a uma pneumonia.
 
Grande parte de suas obras se encontram no livro "Eu", que havia sido lançado em 1912. Seu livro está entra os movimentos literários parnasianistas e simbolistas. Após sua morte, foi lançado o livro "Eu e outros Poemas".

Versos Íntimos
Augusto dos Anjos


“Vês?! Ninguém assistiu ao formidável
Enterro de tua última quimera.
Somente a Ingratidão – esta pantera-
Foi tua companheira inseparável!

Acostuma-te à lama que te espera!
O Homem, que, nesta terra miserável,
Mora, entre feras, sente inevitável
Necessidade de também ser fera (...)”


Manuel Bandeira (1886-1968)

Poeta, crítico liter
Mata borrão.ário e professor de literatura, Manuel Bandeira divulgou seu primeiro poema na abertura da Semana de Arte Moderna de 1922. Natural de Recife, em Pernambuco, ele foi morar com sua família na cidade do Rio de Janeiro e, em 1904, começou a estudar Arquitetura na Escola Politécnica de São Paulo. Teve problemas com tuberculose e passou um período em Campos do Jordão, em São Paulo, e na Suíça. Morreu aos 82 anos, no Rio de Janeiro.

Suas poesias são muito admiradas e estudadas até os dias de hoje. Com um estilo mais lírico, esse poeta trabalhava com temas cotidianos. Foi convidado a participar da Semana de Arte Moderna; porém, não compareceu, mas enviou um poema para ser lido no evento. Antes disso, em 1916, lança o livro “A Cinza das Horas”. Já em 1936, é lançado o livro "Homenagem a Manuel Bandeira" para comemorar os cinquenta anos do poeta. Tomou posse na Academia Brasileira de Letras em 1940.

O Bicho
Manuel Bandeira

“Vi ontem um bicho
Na imundície do pátio
Catando comida entre os detritos
Quando achava alguma coisa,
Não examinava nem cheirava:
Engolia com voracidade.
O bicho não era um cão,
Não era um gato,
Não era um rato.
O bicho, meu Deus, era um homem.”


Oswald de Andrade (1890-1954)

O escritor José Oswald de Souza Andrade nasceu em uma família rica da cidade de São Paulo e entrou para a Faculdade de Direito em 1909. Fundou um semanário denominado “O Pirralho”, em 1911, e publicou suas primeiras obras nele. Criou o jornal Papel e Tinta e com seus amigos, Mário de Andrade e Anita Malfatti, organizou a Semana de Arte Moderna de 1922.

A partir de 1924, lançou o movimento Pau-Brasil e em 1926, casou-se com a pintora Tarsila do Amaral. Os dois eram considerados representantes da cultura brasileira. Lançou o ''Manifesto Antropofágico”, onde sugeria que o Brasil tivesse uma cultura revolucionária. Após 1929, ele perdeu grande parte do seu dinheiro, separou-se de Tarsila do Amaral e casou-se com a militante Patrícia Galvão. Posteriormente, casou-se com Julieta Bárbara e Maria Antonieta D'Aikmin. Lançou também o romance Serafim Ponte Grande (1933) e morreu aos 64 anos.

Pronominais
Oswald de Andrade


"Dê-me um cigarro
Diz a gramática
Do professor e do aluno
E do mulato sabido
Mas o bom negro e o bom branco
Da Nação Brasileira
Dizem todos os dias
Deixa disso camarada
Me dá um cigarro."


Livros de Poesia.Mário de Andrade (1893-1945)

Um dos precursores do Modernismo, Mário de Andrade veio de uma família rica de São Paulo e foi aluno e professor no Conservatório Dramático e Musical de São Paulo. Trabalhou também como crítico de jornais e revistas e seu primeiro livro foi lançado em 1907. Ajudou na organização da Semana de Arte em 1922 e foi vaiado no evento.

Em 1927, lançou o romance "Amar, Verbo Intransitivo", em que apresentava as famílias paulistanas. Já em 1928, lançou uma de suas obras mais conhecidas, “Macunaíma”, onde retratava assuntos como colonização do Brasil e lendas indígenas. Na área musical, lançou o "Ensaio sobre a Música Brasileira" e influenciou muitos cantores. Morreu após um ataque cardíaco, aos 51 anos.

 
 
Ode ao Burguês
Mário de Andrade


“Eu insulto o burguês! O burguês-níquel
o burguês-burguês!
A digestão bem-feita de São Paulo!
O homem-curva! O homem-nádegas!
O homem que sendo francês, brasileiro, italiano,
é sempre um cauteloso pouco a pouco! (...)”


Cecília Meireles (1901-1964)

Cecília Meireles nasceu no bairro da Tijuca, no Rio de Janeiro onde foi criada pela sua avó após a morte de seus pais. A partir de 1917 passou a exercer o magistério e lançou seu primeiro livro “Espectro” dois anos depois. Casou-se em 1922 e lançou os livros “Nunca mais ..." e "Poema dos Poemas” e “Baladas para El-Rei”.

Foi responsável por manter a primeira biblioteca infantil do Rio de Janeiro, em 1934, e no ano seguinte, casou-se novamente após o suicídio de seu marido. Trabalhou em alguns jornais e lançou algumas obras em Portugal. Aposentou-se em 1951 e recebeu diversos prêmios no Brasil e no mundo. Faleceu em 1964 e em 1989, o Governo Federal lançou uma nota de cruzados novos com a imagem da escritora.

Nem tudo é fácil
Cecília Meireles


"É difícil fazer alguém feliz, assim como é fácil fazer triste.

É difícil dizer eu te amo, assim como é fácil não dizer nada

É difícil valorizar um amor, assim como é fácil perdê-lo para sempre.

É difícil agradecer pelo dia de hoje, assim como é fácil viver mais um dia.

É difícil enxergar o que a vida traz de bom, assim como é fácil fechar os olhos e atravessar a rua.

É difícil se convencer de que se é feliz, assim como é fácil achar que sempre falta algo.

É difícil fazer alguém sorrir, assim como é fácil fazer chorar.

É difícil colocar-se no lugar de alguém, assim como é fácil olhar para o próprio umbigo.

Se você errou, peça desculpas...

É difícil pedir perdão? Mas quem disse que é fácil ser perdoado?

Se alguém errou com você, perdoa-o...

É difícil perdoar? Mas quem disse que é fácil se arrepender?

Se você sente algo, diga...

É difícil se abrir? Mas quem disse que é fácil encontrar

alguém que queira escutar?

Se alguém reclama de você, ouça...

É difícil ouvir certas coisas? Mas quem disse que é fácil ouvir você?

Se alguém te ama, ame-o...

É difícil entregar-se? Mas quem disse que é fácil ser feliz?

Nem tudo é fácil na vida...Mas, com certeza, nada é impossível

Precisamos acreditar, ter fé e lutar

para que não apenas sonhemos, Mas também tornemos todos esses desejos,

realidade!!!"