Clarice Lispector (1920-1977)

Essa ucraniana, naturalizada brasileira, chegou ao Brasil com apenas alguns meses de idade com sua família, que fugia da perseguição aos judeus na Europa. Quando criança, estudou no Recife e falava francês e inglês. Com a morte de sua mãe, a família mudou-se para o Rio de Janeiro, fazendo com que Clarice entrasse na Faculdade de Direito; porém, ela acabou apaixonada pela literatura.

Casou-se com um diplomata e viveu certo período na Itália, onde ajudou na guerra. Passou por alguns países com seu marido e, em 1948, nasceu seu primeiro filho, chamado de Pedro, e em 1953, nasce o seu filho Paulo. Em 1959, separa-se de seu marido e volta para o Brasil, onde começa a escrever para jornais.

Seu primeiro romance foi publicado em 1943 e se chamava “Perto do Coração Selvagem”. Já em 1964, lança as obras “A Legião Estrangeira” e “A Paixão Segundo G.H.. Em 1973, lança o sucesso “Água Viva”. Uma de suas publicações mais famosas foi “A Hora da Estrela”. Morreu em 1977, devido à complicações de um câncer no ovário.

Principais Obras

  • O Mistério do Coelho Pensante e Outros Contos;
  • A Legião Estrangeira (1964);
  • A Paixão Segundo G.H. (1964);
  • Água Viva (1973);
  • A Hora da Estrela (1977);
  • Quase de Verdade (1978).

João Guimarães Rosa (1908-1967)

Guimarães Rosa nasceu na cidade de Codisburgo, em Minas Gerais e sempre teve interesse na língua portuguesa e em outros idiomas. Entrou para a Faculdade de Medicina de Belo Horizonte e em 1930, casou-se pela primeira vez. Na Revolução Constitucionalista de 1932, prestou serviço como médico e posteriormente no Exército.

Foi aprovado em um concurso público para diplomata e, em 1938, foi nomeado para trabalhar como cônsul na Europa. Seu primeiro livro, “Sagarana”, foi publicado em 1946 e se tratava de um conjunto de contos. Em 1956, lançou as obras “Grande Sertão Veredas” e “Corpo de Baile”. Pelo livro Grande Sertão Veredas, recebeu a premiação da Academia Brasileira de Letras. A maioria de suas obras ocorre no sertão brasileiro, fazendo com que ele criasse diversas palavras nas obras. Histórias cheias de realismo e regionalismo. Faleceu três dias depois de ter tomado posse na Academia.

Principais Obras

  • Sagarana (1946);
  • Corpo de Baile (1956);
  • Grande Sertão: Veredas (1956);
  • Noites do Sertão (1965);
  • Campo Geral (1965).

João Cabral de Melo Neto (1920-1999)

Esse escritor nasceu em Recife e desde criança, demonstrava interesse na leitura. Acabou se tornando diplomata ainda muito jovem, passou por vários países como Espanha, Inglaterra e Portugal. Escreveu um romance que era baseado em uma cidade da Espanha. Suas obras são divididas entre as que trabalham com o próprio fazer poético e as que tinham uma temática relacionada ao Nordeste do Brasil (retratando os problemas sociais e a pobreza).

Uma de suas principais obras foi “Morte e Vida Severina”, em que conta a história de um retirante. Em 1968 tomou posse na Academia Brasileira de Letras e recebeu diversos prêmios em sua vida literária. Faleceu em outubro de 1999.

Principais Obras

  • Pedra do Sono (1942);
  • Morte e Vida Severina (1966);
  • Agrestes (1985);
  • Crime na Calle Relator (1987);
  • Primeiros Poemas (1990);
  • Sevilla Andando (1990);
  • A Escola das Facas (1980).

Graciliano Ramos (1892-1953)

Romancista brasileiro que nasceu no Nordeste do país e após terminar o Ensino Médio foi trabalhar como jornalista no Rio de Janeiro. Voltou para o estado de Alagoas, onde se casou e teve filhos. Em 1927, venceu a eleição para a prefeitura de Palmeira dos Índios, a qual renunciou alguns anos depois. Foi preso durante o governo de Getúlio Vargas e, em 1936, publicou o livro “Angústia”.

Lançou o livro “Vidas Secas” em 1938 e voltou a trabalhar no Rio de Janeiro. Começou a participar do Partido Comunista do Brasil (PCB) e lançou os livros “Viagem” e “Infância”. Sua literatura conta com conflitos , opressão e um estilo formal. O escritor faleceu por causa do câncer de pulmão.

Principais Obras

  • Caetés (1933);
  • Angústia (1936);
  • Histórias Incompletas (1946);
  • Vidas Secas (1938);
  • Memórias do Cárcere (1953);
  • Infância (1945);
  • São Bernardo (1934).

José Lins do Rego (1901-1957)

José Lins do Rego nasceu na Paraíba e foi criado por seu avô em um engenho. Começou seus estudos na capital, João Pessoa, e terminou de estudar na cidade de Recife. Entrou para a faculdade de Direito em 1919 e passou a escrever para jornais. Trabalhou como promotor público e fiscal de bancos.

Seu primeiro livro foi “Menino de Engenho” seguido do romance “Doidinho” e recebeu várias críticas favoráveis sobre suas obras. Foi se tornando um autor conhecido. Passou a trabalhar na cidade do Rio de Janeiro e se tornou um grande amante do futebol, trabalhando no Clube de Regatas do Flamengo. O autor passou a ser reconhecido pelas suas obras regionalistas, lançando ainda os romances “Fogo Morto” (1942) e “Cangaceiros” (1953). Faleceu aos 56 anos com problemas hepáticos.

Principais Obras

  • Menino de Engenho (1932);
  • Usina (1936);
  • Riacho Doce (1939);
  • Fogo Morto (1943);
  • Histórias da Velha Totonha (1936);
  • Meus Verdes Anos (1956).